Mas se tiver que me deixar, vai me deixando devagar Deixa eu me acostumar, com a sua ausência.
Because you're mine
home ask Autorias Meus Facebook FAQ
Há 3 horas 0 notas · reblog
Era uma pessoa como qualquer outra. Fiz dela um amigo, agora ela é única no mundo.
O Pequeno Príncipe.  (via a-migaimaginaria)
Sei que sou quieto, e que devo falar mais. Mas se soubesse as coisas que passaram pela minha cabeça, você saberia o que significou de verdade. O quanto somos parecidos, e como passamos pelas mesmas coisas.
As Vantagens de Ser Invisível.     (via confessarte)
Mas, afinal, será que é covardia reconhecer o medo?
A Menina que Roubava Livros.  (via verboralizar)
A casa estava cheia
mas a solidão era a minha
unica companhia.
— sou meio louco… (via heroi-ignorad0)
Você acha mesmo que tem ainda uns dez anos para dizer o que realmente importa às pessoas que ama? Doce ilusão. Seu tempo acabou. A gente só vive uma vez, você tem certeza que você é aquilo que gostaria de ser? Olhe uma foto sua enquanto criança e compare com o que você se tornou. Se você morrer hoje (acredite, pode acontecer), é assim que você gostaria de ser lembrado? É hora de deixar de ser babaca. Não é bolinho. Eu estou bem no início, recomeçando tudo outra vez, do zero. E você?
Gabito Nunes. (via despoetizador)
Na noite do dia 31, vou olhar para o céu e lembrar de tudo que vivi nesse ano: as mágoas, os sorrisos, as lágrimas, as histórias, os amigos que fiz e os que perdi, os momentos bons e os ruins. E não vou me arrepender de nada. Pois foram todos esses momentos, que fizeram com que esse ano valesse a pena.
Caio Fernando Abreu.    (via textificada)
Sentia como se estivesse fracassando em praticamente todas as áreas da sua vida. Ultimamente, a felicidade parecia tão distante e inalcançável para ele quanto uma viagem pelo espaço sideral.
Nicholas Sparks.  (via epicedio)
O egoísmo pessoal, o comodismo, a falta de generosidade, as pequenas covardias do cotidiano, tudo isto contribui para essa perniciosa forma de cegueira mental que consiste em estar no mundo e não ver o mundo, ou só ver dele o que, em cada momento, for suscetível de servir os nossos interesses.
José Saramago. (via epicedio)

Rafael Valentim ©